-A A +A
CCAE e CCENS

SASAS informa sobre a febre amarela e vacinação

Informamos que toda a população do município de Alegre e região do Caparaó deverá se imunizar contra a febre amarela. Orientamos aos alunos que estão em Alegre a procurar a Vigilância Sanitária e alertamos aos alunos que ainda estão em sua cidade de origem devem tomar a vacina antes de regressar para Alegre, pois a vacina leva 10 dias para ter efeito.

Não se esqueça de levar seu Cartão Nacional de Saúde e o Cartão de Vacina, sem os mesmos não será possível a realização da vacina.

Para esclarecer algumas dúvidas, a Seção de Atenção à Saúde e Assistência Social encaminhou algumas informações sobre a situação da febre amarela no ES e sobre a estratégia de vacinação definida pelos órgãos de controle epidemiológico.

A imunização contra a febre amarela é feita por 3 motivos:

1. para proteger as populações que residem em áreas sujeitas à infecção pelo vírus da febre;

2. para proteger as pessoas que viajam para essas áreas;

3.  para minimizar o risco de importação da doença por viajantes contaminados.

            Até o dia 30 de janeiro, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informa que do total de 43 casos notificados, 11 foram confirmados para febre amarela silvestre, sendo que dois casos evoluíram para óbito, sete pacientes receberam alta hospitalar e dois estão internados com quadro estável. A vacinação está sendo feita nos municípios com áreas rurais ou próximos de Minas Gerais, onde existem mais casos confirmados, visando conter a transmissão do vírus.

            A febre amarela detectada atualmente é do tipo silvestre, quer dizer, só é transmitida pelos mosquitos que habitam áreas rurais ou de mata. Por isso, quem não vai frequentar esses ambientes não tem necessidade de se vacinar. A vacina não protege a todos, pois muitas pessoas não podem ser imunizadas, pela idade, pela condição de saúde, por estarem grávidas, por serem alérgicas. Essas pessoas devem procurar se proteger de mosquitos caso frequentem as áreas de risco. A vacinação das pessoas que habitam ou irão para áreas de risco tem como objetivo conter a transmissão da doença, e também evitar que uma pessoa infectada seja picada pelo Aedes aegypti, iniciando o ciclo da febre amarela urbana, que poderia ser transmitida mais facilmente nas cidades. Portanto, evitar a urbanização da doença é importante também para proteger as pessoas que não podem ser imunizadas.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, uma única dose da vacina é suficiente para conferir proteção imunológica contra a febre amarela por toda a vida. Mas o Brasil fabrica a vacina e manteve a recomendação de duas doses, sendo uma de reforço. Nesse momento a prioridade é vacinar as pessoas que nunca foram vacinadas e que irão viajar para áreas de risco, onde existem casos da doença em humanos ou animais (veja abaixo o mapa das áreas de risco no Brasil).

Os macacos não devem ser mortos, pois funcionam como escudo para os humanos. É a morte dos macacos que sinaliza para os humanos o retorno do vírus a uma determinada área.

Em 27 de janeiro de 2017 foram incluídos 23 municípios na vacinação cautelar: Alegre, Apiacá, Atílio Vivácqua, Bom Jesus do Norte, Cachoeiro de Itapemirim, Fundão, Ibiraçu, Jerônimo Monteiro, Mimoso do Sul, Muqui, Nova Venécia, Ponto Belo, Rio Bananal, Rio Novo do Sul, São José do Calçado, Sooretama, Vila Pavão, Vila Valério, Vargem Alta, Marechal Floriano, Viana, Alfredo Chaves e João Neiva (veja o mapa abaixo).

Já faziam parte da lista os municípios: Água Doce do Norte, Alto Rio Novo, Baixo Guandu, Barra de São Francisco, Brejetuba, Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Guaçuí, Ibatiba, Ibitirama, Irupi, Iúna, Laranja da Terra, Mantenópolis, Montanha, Mucurici, Pancas, Afonso Cláudio, Ecoporanga, Colatina, Itaguaçu, Governador Lindenberg, Conceição do Castelo, Venda Nova do Imigrante, São Roque do Canaã e São Gabriel da Palha.

O que você pode fazer?

•    Localize (e traga com você) sua carteira de vacinação.

•    Verifique se já foi imunizado contra a febre amarela.

•    Caso já tenha sido imunizado duas vezes, a terceira dose não deve ser realizada, devido à alta probabilidade de causar efeitos adversos. Ou seja, é arriscado e desnecessário ser imunizado três vezes.

•    Caso tenha sido imunizado quando adulto, deve tomar a dose de reforço apenas após o intervalo de 10 anos.

•    Se mora em estado que está na área de risco ou em município que está fazendo a vacinação cautelar, vacine-se em seu município/estado. Procure a Unidade de Saúde mais próxima e se informe.

•    Não há casos registrados em Alegre ou em municípios vizinhos, portanto há mais risco de alguém importar a doença para cá do que de contrair a doença aqui.

 

MAPA DAS ÁREAS DE RISCO PARA FEBRE AMARELA NO BRASIL:

 

MUNICÍPIOS COM RECOMENDAÇÃO PARA VACINAÇÃO CAUTELAR NO ES:

Fonte:

http://www.who.int/topics/yellow_fever/en/

http://www.blog.saude.gov.br/index.php/geral/52271-ministerio-da-saude-tira-duvidas-dos-internautas-sobre-a-febre-amarela

http://alegre.es.gov.br/site/index.php/administracao-prefeitura-municipal/secretarias-municipais/secretaria-de-saude-e-saneamento/2577-centro-municipal-de-imunizacao-disponibiliza-vacina-contra-febre-amarela

http://saude.es.gov.br/febre-amarela

http://saude.es.gov.br/Not%C3%ADcia/sesa-atualiza-dados-de-febre-amarela

 

Organização:

Seção de Atenção à Sáude e Assistência Social do Campus de Alegre

 

Transparência Pública
Acesso à informação
Facebook

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Alto Universitário, s/nº - Guararema, Alegre - ES | CEP 29500-000